terça-feira, novembro 08, 2011

De volta às bolachas!



Vi esta receita num dos meus blogs de culinária favoritos e soube que tinha que a experimentar rapidamente. E assim fiz, e daí para cá a receita já foi repetida mais vezes do que consegui contar, sempre com excelentes resultados. Fiz muito poucas adaptações ao original, que na perfeição não se mexe. Apenas usei farinha com fermento, dispensando o fermento adicional, e misturei os ingredientes de forma ligeiramente diferente. Não me parece que qualquer destas alterações seja essencial. Aliás, acho que estas bolachas são daquelas que é difícil errar, mesmo que se junte tudo e se mexa com a colher de pau, só podem ficar boas!


Foram as bolachas escolhidas para enfeitar o bolo de aniversário do Diogo e para o acompanhar também, para um lanche com amigos que há muito tempo não víamos, para encher as latas das bolachas lá de casa e para comemorar um recente sucesso profissional. Já fiz só com sabor a baunilha, com raspa de laranja e de limão, com pepitas de chocolate, cobertas de canela e enfeitadas com glacê real e confeitos coloridos. Todas foram deliciosas e aprovadas por toda a gente que as provou! Aconselho vivamente!


Para 20 a 24 bolachas (ligeiramente adaptado daqui):
125 g manteiga ou margarina
125 g açúcar
1 ovo
250 g farinha com fermento
1 c. chá essência de baunilha ou raspa de limão ou laranja (opcional)

Aquecer o forno a 180º. Forrar dois tabuleiros com papel vegetal.

Bate-se a manteiga amolecida (ou derretida) com o açúcar. Junta-se o ovo e a baunilha (ou a raspa de limão ou laranja) e bate-se novamente até estar bem incorporado. Junta-se a farinha e mexe-se até formar uma massa homogénea. Não se deve bater, apenas incorporar a farinha até que deixe de se ver farinha no meio da massa.

Deitam-se colheradas (uso uma colher de sobremesa mal cheia) de massa nos tabuleiros e vão a cozer, no meio do forno, um tabuleiro de cada vez, 8 a 10 minutos ou até que estejam douradas nas bordas. Retiram-se para uma grade para arrefecer.

Notas:
- Para fazer bolachas com pepitas de chocolate, juntar 100 g de pepitas ou de chocolate preto picado à massa depois de incorporar a farinha. Prosseguir com a receita.
- Para fazer bolachinhas cobertas de canela, formar bolinhas com a massa (se for preciso, deixar descansar 10 a 15 minutos no frigorífico para ser mais fácil de trabalhar) e passá-las por canela antes de as colocar nos tabuleiros. Cozer como indicado.
- Para cobrir com glacê real, bater uma clara de ovo com açúcar em pó suficiente para fazer uma cobertura cremosa, suficientemente líquida para se espalhar mas que não caia completamente das bolachas. Juntar umas gotas de sumo de limão e cobrir as bolachas. Se se quiser enfeitar com confeitos coloridos, fazê-lo imediatamente após cobrir as bolachas.

sexta-feira, novembro 04, 2011

Crumble de Marmelos



Este ano, a colheita de marmelos dos meus sogros foi verdadeiramente prodigiosa! Deu para fazer marmelada em quantidades industriais e sobrou para comer de todas as maneiras que se possam imaginar. A preferida cá em casa tem sido este crumble.

O crumble é uma sobremesa fantástica: rápida de preparar (nem tanto no caso dos marmelos, que são difíceis de descascar, mas melhor no caso outras frutas), infinitamente adaptável (qualquer fruta, qualquer sabor), perfeita para o Outono ou Inverno, bem quentinha, mas não menos perfeita no Verão, com uma bela bola de gelado a acompanhar. Quer-me parecer que vou repetir a dose este fim-de-semana!

Ingredientes (para 6 pessoas):
1,5 kgs Marmelos
4 a 5 c. sopa açúcar
1 cálice vinho do Porto
1 dl sumo de laranja, limão ou água
1 c. chá canela em pó
1 c. sopa manteiga sem sal (opcional)
Para o crumble (daqui):
100 g manteiga sem sal
100 g farinha
100 g flocos de aveia
100 g açúcar
1 c. chá canela em pó

Cortar os marmelos em quartos, retirar os caroços e descascar. Colocar dentro de uma taça com água e sumo de limão (para não escurecerem). Escorrer e cortar em cubos de cerca de 1 cm. Misturar com o açúcar, o vinho do Porto, a canela e o sumo de laranja.

Untar uma assadeira com manteiga. Deitar a mistura de fruta lá dentro e espalhar pequenas nozes de manteiga por cima. Tapar com papel de alumínio e levar ao forno a 180º por 10 minutos.

Entretanto, preparar o crumble: num robot de cozinha, misturar a farinha com o açúcar. Juntar a manteiga e processar até ficar com aspecto de areia húmida. Misturar a aveia e processar mais 10 segundos.

Retirar os marmelos do forno, destapar, espalhar o crumble por cima e levar novamente ao forno mais 30 a 40 minutos, até estar dourado e o sumo da fruta borbulhar em volta do crumble.

Servir, de preferência, quente com natas batidas, iogurte ou uma bola de gelado.

Notas:
- Neste caso, a manteiga faz toda a diferença, não só no sabor, mas também na textura. Depois de se experimentar um crumble com manteiga, nunca mais se volta à margarina. Pelo menos foi assim comigo!
- Se os marmelos estiverem mais secos, pode-se acrescentar mais água ou sumo de laranja, para fazer com que a fruta não seque (não o fiz e o meu crumble ficou seco demais).
- Sem robot de cozinha também se pode fazer isto: juntam-se os ingredientes do crumble e desfaz-se a manteiga com os dedos até ficar em migalhas grandes.