domingo, fevereiro 27, 2011

Chá de Bebé

Pois bem, para o meu primeiro chá de bebé pediram-me cupcakes. Como toda a gente gosta de chocolate, fiz os Cupcakes de Chocolate Surpresa, mas com esta receita de bolo e uma cobertura diferente. Mas queria fazer alguma coisa bonita, digna de um chá de bebé para uma menina.
Já tinha visto várias vezes cupcakes recheados de uma maneira que me parecia interessante: depois de cozidos, corta-se um “chapéu” e recheia-se com qualquer coisa. Depois põe-se o chapéu por cima do recheio e cobre-se. Achei que era uma boa utilização a dar à compota de morango da minha mãe, e decidi procurar uma cobertura de morango para combinar com o recheio. Encontrei esta e, apesar das críticas excelentes, dispus-me a faze-la sem grande esperança de que fosse saborosa, apenas com a intenção de fazer uma cobertura bonitinha para pôr em cima dos bolinhos, que se pudesse tirar para comer o que estava por baixo.
Tive uma boa surpresa: apesar de ser muito doce, não é má e não fica nada mal em cima dos cupcakes. Para a próxima farei tanto os queques como a cobertura com menos açúcar, mas abaixo deixo as quantidades originais, pois foi as que usei.

Cobertura de Chantilly com Oreo
(para 20 cupcakes)
200 ml natas
2 c. sopa açúcar
1 c. chá sumo de limão
4 a 5 bolachas oreo, picadas
Misturar o sumo de limão com as natas e bater até começarem a engrossar. Juntar o açúcar e continuar a bater até estarem bem presas. Envolver as bolachas picadas. Cobrir generosamente cada cupcake.


Cupcakes Recheados com Compota de Morango
(para 30 cupcakes)
Bolo (esta, mas cortei o açúcar, pus 400g):
2 ¼ ch. farinha sem fermento (360g)
1 ¾ ch. açúcar (440g)
2 c. chá fermento em pó
¾ c. chá bicarbonato de sódio
250 g manteiga ou margarina (usei margarina)
1 ch. sour cream (natas ácidas, pode-se substituir por créme fraiche ou iogurte natural ou juntar 1 c. sopa de sumo de limão a 1 chávena de natas e deixar repousar 10 minutos)
4 ovos
1 c. chá extracto baunilha
¾ ch. compota de morango (1/2 c. chá para cada cupcake)
Cobertura (adaptada daqui):
250 g manteiga sem sal à temperatura ambiente
1 pitada de sal
3 ½ ch. açúcar em pó (500 g)
4 c. sopa compota de morango, passada com a varinha
2 gotas corante alimentar vermelho
Nota: 1 chávena = 250 ml.
Aquecer o forno a 180º. Colocar formas de papel nas formas de queques.
Misturar bem a farinha, o fermento, o açúcar, o fermento e o bicarbonato de sódio. Bater os ovos com o sour cream, a manteiga derretida e o extracto de baunilha. Juntar os elementos líquidos aos sólidos e bater com a batedeira durante 30 segundos.
Deitar nas formas e levar ao forno a cozer até que um palito inserido no meio de um queque saia limpo (cerca de 15 minutos). Desenformar e deixar arrefecer completamente antes de decorar.
Depois de frios, cortar um cone em cada cupcake, rechear com ½ c. chá compota e colocar as tampas por cima. Pressionar um pouco para não sair.
Preparar a cobertura: Bater a manteiga com o sal até estar leve e fofa. Juntar o açúcar em pó aos poucos e bater até estar incorporado. Fica bastante denso. Juntar a compota e envolver. Se se quiser um cor-de-rosa mais pronunciado, juntar duas gotas de corante alimentar vermelho e misturar bem para distribuir a cor.
Cobrir os cupcakes e enfeitar a gosto. Como a menina se vai chamar Camila, coloquei um C em cada um com um lápis de cobertura cor-de-rosa com brilho.

sábado, fevereiro 26, 2011

Massa com Cogumelos e Manjericão

Hoje fui ao chá de bebé de uma amiga que vai ter uma menina em Maio. Um conceito importado dos EUA (Baby Shower), mas que me parece uma ideia engraçada. Na correria para fazer os cupcakes que me pediram para levar (aqui aparecerão em breve), sobrou pouco tempo para o almoço. Então saiu uma massa simples, tão simples que nem foto tirei por achar que não valia a pena, mas tão saborosa que tenho que partilhar. Tudo (incluindo ferver a água para cozer a massa) demorou 15 minutos e o molho faz-se totalmente enquanto a massa coze. Perfeito para quando o tempo (e a paciência) são poucos e a fome muita.

Para 2 pessoas:
200 g massa (qualquer uma, usei tallharim)
300 g cogumelos pleurothus
1 c. sopa manteiga (usei uma manteiga com pimenta, alho e limão que tinha em casa)
1 c. sopa azeite
6 folhas grandes de manjericão
3 c. sopa queijo creme (tipo Philadelphia)
1 dl leite
Sal

Põe-se a massa a cozer em bastante água bem temperada com sal. Rasgam-se os cogumelos em tiras. Aquece-se uma frigideira com a manteiga e o azeite. Quando estiver bem quente, deitam-se os cogumelos que se salteiam em lume forte até murcharem e largarem todo o líquido. Mistura-se o queijo creme com o leite, reduz-se o lume na frigideira e deita-se a mistura de queijo sobre os cogumelos. Tempera-se de sal, mexe-se para derreter bem o queijo e deixa-se apurar. Se ficar muito grosso, junta-se mais um pouco de leite ou água.

Enrolam-se as folhas de manjericão omo se fossem uma torta e cortam-se em tiras finas. Polvilham-se por cima dos cogumelos quando estiverem cozinhados.

Escorre-se a massa e envolve-se no molho dos cogumelos. Serve-se imediatamente.

Notas:
- Podem usar-se outros cogumelos, frescos ou enlatados. O sabor não será o mesmo se forem de lata.
- Pode-se fritar um pouco de bacon em tiras antes de saltear os cogumelos, para acrescentar alguma carne. Eu gosto assim mesmo.

sexta-feira, fevereiro 18, 2011

E lá voltamos nós às bolachas...


Nunca fui grande fã de bolachas de manteiga. Não me entendam mal, adoro manteiga, mas não gosto particularmente de bolachas que só sabem a manteiga. Por isso, quando encontrei esta receita de Bolachas numa revista Blue Cooking pensei que tinha que as experimentar, nem que fosse apenas pela sua enorme versatilidade. Na revista, eles sugerem 3 formas de as fazer, mas eu arriscaria dizer que não há nada que não se possa fazer com elas. A massa fica muito mole, por isso é importante deixar que repouse algum tempo no frigorífico.
Aqui ficam duas versões: enroladas com compota e em formato biscoito com canela. As duas são absolutamente deliciosas, mesmo para mim, que não gosto de bolachas de manteiga.
36/40 bolachas (Fonte: revista Blue Cooking):
250 g manteiga (costumo usar margarina, por ter um sabor menos acentuado)
1 chávena açúcar em pó (pode-se usar açúcar granulado)
1 colher chá aroma baunilha
2 ½ chávenas farinha sem fermento
Bater a manteiga amolecida com o açúcar até ficar fofo e cremoso. Juntar a baunilha e bater novamente.
Misturar a farinha gradualmente, até estar bem incorporada. Embrulhar em papel aderente e deixar no frigorífico 30 a 60 minutos (até estar firme). Retirar do frigorífico 5 minutos antes de trabalhar.
Aquecer o forno a 170º.
Para as bolachas enroladas:
Estende-se a massa com o rolo numa folha de papel vegetal até ficar com cerca de 0,5 cm de espessura. Espalha-se por cima 3 colheres de sopa de compota a gosto (usei de abóbora e de morango) deixando 2 cm livres em toda a volta e enrola-se como se fosse uma torta. Corta-se em fatias de 1 cm e coloca-se no tabuleiro. Levar ao forno e cozer 15 a 20 minutos, ou até ficarem levemente douradas.
Para os biscoitos com canela:
Formam-se pequenas bolinhas de massa, que se passam por canela em pó e se colocam no tabuleiro forrado com papel vegetal. Cozem em forno a 170º 20 a 25 minutos.
Retirar do forno, deixar repousar 2 a 3 minutos e retirar do tabuleiro para uma grade para arrefecerem.
Notas:
- Para amolecer a manteiga, colocar no microondas 1 minuto em potência média. Se necessário, voltar a aquecer em intervalos de 10 seg.
- As bolachas podem ser guardadas em latas bem fechadas, pelo menos uma semana. As que são recheadas de compota vão ficando menos estaladiças, mas nem por isso menos saborosas. Se guardadas separadas, as de canela mantêm-se estaladiças.
- A massa pode ser aromatizada com qualquer outro sabor: ¼ chávena de chocolate em pó; 1 colher de chá de canela; 2 colheres de sopa de café solúvel dissolvidas numa colher de chá de água quente; raspa de limão ou laranja; etc.

terça-feira, fevereiro 15, 2011

Perca em Papelote





Como nem só de bolos vive o homem (nem esta mulher, infelizmente), aqui fica uma sugestão para o jantar: fácil, rápida e saudável.

Isto não é bem uma receita, é mais um método. Tudo pode ser personalizado, ao gosto de quem vai comer: o peixe, os legumes, os temperos… Cá em casa faz sempre sucesso, sejam quais forem os ingredientes usados. Se os papelotes forem individuais, pode ainda personalizar-se mais, com cada um a escolher o que quer no seu embrulho.

Nunca experimentei fazer com carne, mas suspeito que resulte bem, desde que seja carne tenra e cortada em bifes finos ou pedaços pequenos, para cozer em 20 a 30 minutos. Caso contrário, os legumes ficam demasiado moles. Estes ingredientes foram suficientes para as 3 pessoas cá de casa.

1 filete de perca com 500/600g

300 g cogumelos pleurothus

300 g espargos verdes frescos

1 cebola média

Tomate seco em óleo q.b. (opcional)

Mangericão fresco q.b. (ou outra erva a gosto)

1 malagueta, fresca ou seca (opcional)

Sal e pimenta

Aquecer o forno a 200º. Cortar uma folha grande de papel de alumínio – metade ficará por baixo do peixe e a outra metade será dobrada por cima para fazer um envelope. Colocar num tabuleiro de forno, com uma das pontas a sair por fora do tabuleiro.

No centro da folha, colocar a cebola em rodelas. Temperar com sal. Por cima da cebola, colocar o filete de peixe e temperar novamente com sal e pimenta. Polvilhar por cima a malagueta picada (com sementes para mais picante, sem sementes para menos).

Segurar os espargos, um de cada vez, uma ponta em cada mão e dobrar até partir. Rejeitar as bases. Cortar os topos em pedaços de 1,5 cm. Rasgar os cogumelos em tiras com as mãos.

Por cima do peixe, espalhar os espargos e os cogumelos. Temperar com sal e pimenta. Espalhar o tomate seco em bocados por cima e regar tudo com um fio de azeite.

Dobrar a outra metade da folha de alumínio por cima do peixe e legumes e fechar bem de todos os lados, dobrando as bordas para dentro. Levar ao forno por 30 minutos. Servir imediatamente com arroz seco ou batatas cozidas.


Notas:

- Podem-se fazer papelotes individuais, com filetes mais pequenos (150g a 200g) e 1/3 do resto dos ingredientes para cada papelote. Se assim for, reduzir o tempo no forno para 20 minutos.

- Pode usar-se qualquer outro peixe, em filete ou em posta, ou carne tenra, em bifes finos.

- Podem usar-se outros vegetais a gosto, como feijão verde, espinafres, cenouras, brócolos e tudo o mais que se queira, e acrescentar batatas em rodelas finas, por baixo do peixe ou carne.

- Os talos dos espargos podem ser guardados no congelador para fazer caldo de legumes ou sopa de espargos.

segunda-feira, fevereiro 14, 2011

Cupcakes de Chocolate com Marshmallows Tostados



Uma receita perfeita para o dia dos namorados! Ou para outro dia qualquer. Aprovada por miúdos e graúdos, gira e facílima de fazer (a sério, mesmo à prova de idiotas!).
Quanto aos marshmallows, foram os que havia cá em casa: ficam mais coloridos, mas menos homogéneos. Se usarem os brancos grandes que se vendem nas bancas de gomas, fica mais bonitinho, mais direitinho. Ou pode-se apenas cobrir os cupcakes com açúcar em pó ou com chantilly, ou o meu preferido: chantilly com chocolate picado. Huummmm…
24 cupcakes (receita daqui)
60 g cacau em pó
200 g farinha com fermento
300 g açúcar
1 colher de chá bem cheia de bicarbonato de sódio
2 ovos
180 ml água morna
120 ml leite
60 ml iogurte natural
80 g manteiga derretida
1 colher de chá baunilha
Marshmallows
Aquecer o forno a 180º.
Misturar o cacau, a farinha, o açúcar e o bicarbonato de sódio numa taça grande.
Noutra taça bater os ovos e juntar a água, o leite, o iogurte, a manteiga e a baunilha. Misturar bem e juntar à farinha. Bater até estar bem ligado.
Deitar em duas formas de queques forradas com forminhas de papel (encher até 2/3 da capacidade) e levar ao forno até um palito espetado no meio de um cupcake sair limpo (13 a 15 minutos). Não cozer demais, para ficarem húmidos.
Tirar do forno, colocar dois marshmallows em cima de cada cupcake e levar novamente ao forno, só com o grill ligado, para tostar ligeiramente os marshmallows (cuidado que queimam em segundos). Retirar do forno e espalmar os marshmallows com os dedos para cobrirem o topo do bolo.
Notas:
- Estes cupcakes foram feitos numas forminhas de papel do IKEA, que são maiores que as forminhas normais. Como a receita mandava encher as formas até meio, foi o que fiz, mas ficaram muito pequenos. Recomendo encher até 2/3 ou 3/4.
- A massa fica muito líquida, por isso, a melhor forma de distribuir pelas formas de queques é deitar num jarro com bico e verter para as formas.
- A mim, não sei porquê, sobra-me sempre um bocadinho de massa… Então deito num pyrex pequeno e coze à mesma temperatura, cerca de 20 minutos, após o que leva o mesmo tratamento dos cupcakes. Não é defeito: fico com sobremesa para o jantar ;-)

domingo, fevereiro 13, 2011

O fim do sossego…

Ontem o meu pirralho descobriu que consegue andar sozinho... Passámos o dia (e boa parte da noite) a correr atrás dele, com a plena consciência de que, daqui para a frente, tudo será bem mais animado (e cansativo)!

Para comemorar, hoje passei o dia todo na cozinha! :-)

Pequeno-almoço: Panquecas com pepitas de chocolate (adaptadas daqui, sem o bacon e com mel em vez do xarope de nutella).

Almoço: Pico de Gallo e Guacamole com chips de tortilha (daqui, site que recomendo vivamente) e Chili (adaptado daqui).

Lanche (quer dizer, jantar, que depois disto tudo não há mais fome): Bolo de chocolate com pedaços (daqui).

Como sou palerma e não trouxe a máquina fotográfica para Bragança, não pude tirar fotos de nada disto: nem do rapaz a andar, nem da comida. Seguem dentro de momentos; não há-de tardar assim tanto a todas estas coisas voltarem a acontecer ;-).